Sandra Guerra

Sandra Guerra

SANDRA GUERRA

Sandra Guerra tem 21 anos de experiência em governança corporativa, tendo participado da introdução do conceito e de sua aplicação prática no Brasil. Atuou como conselheira e presidente em conselhos de administração em diversas empresas, listada ou fechadas. Foi Presidente do Conselho de Administração do Instituto Brasileiro de Governança Corporativa (IBGC) por quatro anos e uma de suas fundadoras. Foi ainda por duas vezes conselheira da International Corporate Governance Network (ICGN).

Seu foco de pesquisa é o conselho de administração. É mestre em Administração de Empresas pela FEA-USP, com gradução em Comunicação. Certificada como Conselheira de Administração pelo IBGC e como Mediadora pelo CEDR-Centre for Effective Dispute Resolution, do Reino Unido. É sócia-diretora da Better Governance, consultoria de governança corporativa, focalizada em conselhos de administração.

A CAIXA-PRETA DA GOVERNANÇA

Passados mais de 20 anos do início do movimento mundial de governança corporativa, os sucessivos escândalos empresariais mantêm em xeque a atuação dos conselhos de administração: “O que fazem os conselheiros enquanto a empresa passa por dramática destruição de valor com prejuízos sociais e/ou ambientais profundos e irreversíveis?” Órgão máximo de GC, o conselho de administração é também considerado a “caixa preta” das empresas – só mesmo os conselheiros sentados à mesa de reuniões entendem como funciona aquela “máquina de tomar decisões”. Exatamente por essa razão, o ponto de partida de A CAIXA-PRETA DA GOVERNANÇA é a pesquisa realizada pela autora com 102 conselheiros brasileiros. No estudo, os conselheiros revelam as maiores causas de suas noites de insônia, mas também apontam os principais obstáculos ao processo decisório mais robusto e eficiente.

O foco da análise se volta para ângulos mais sutis e sofisticados do funcionamento dos conselhos de administração (CAs), que ainda não mereceram o devido protagonismo, como a abordagem comportamental, que permeia toda a dinâmica dos conselhos e também sua interação com os demais órgãos de administração. Depois de explorar as armadilhas causadas pelos vieses individuais e de grupo, é apresentado um guia com os instrumentos comportamentais disponíveis para que conselheiros e executivos possam navegar com mais tranquilidade e confiança nas salas de conselho, aperfeiçoando o processo interativo e aumentando a eficiência do processo de tomada de decisões.

Status/Publicação: pela Best Business/ Grupo Record em maio de 2017. [376 páginas]