Ronaldo Wrobel

Ronaldo Wrobel

RONALDO WROBEL

Escritor e advogado, Ronaldo Wrobel nasceu no Rio de Janeiro em 1968 e é autor do romance PROPÓSITOS DO ACASO, dos contos reunidos em A RAIZ QUADRADA E OUTRAS HISTÓRIAS, e de NOSSAS FESTAS – CELEBRAÇÕES JUDAICAS.

TRADUZINDO HANNAH foi finalista do Prêmio São Paulo de Literatura e compôs listas com os dez melhores romances do ano de 2010.

O ROMANCE INACABADO DE SOFIA STERN

Nascida na Alemanha em 1919, Sofia Stern fugiu para o Brasil na véspera da Segunda Guerra e hoje mora com o neto no Rio de Janeiro. Um dia, a pacata senhora desaparece de casa para ser encontrada numa situação tão bizarra que o neto decide investigar seu misterioso passado. Com a descoberta de um diário, ele reconstitui sua juventude na cidade de Hamburgo durante a Era Nazista e a conturbada amizade com uma moça chamada Klara, que morreu em 1938. Sofia foi uma cantora de cabaré malquista pelo regime porque descendia de judeus e católicos.

A surpresa do neto aumenta quando ele recebe o telefonema de uma juíza alemã às voltas com um processo judicial que pode torná-lo multimilionário. Mas, para isso, é preciso juntar pedaços de uma história mal contada que envolve a morte de Klara. Na Alemanha, o neto depara com revelações polêmicas que não distinguem o certo do errado. Resta saber o que ele prefere: ficar rico ou fazer justiça.

Status/Publicação: pela Record em junho de 2016. Vendido para Giuntina (Itália), Métailié (França) e Porto (Portugal).

TRADUZINDO HANNAH

Em 1936, Max Kutner é um judeu polonês que trabalha como sapateiro no Rio de Janeiro. Fluente em iídiche, é intimado pela polícia política a trabalhar na censura postal do governo, traduzindo para o português as cartas da comunidade judaica. O regime linha-dura de Vargas teme que judeus conspirem um golpe comunista no país. Com medo de ser expulso e voltar para a Europa, onde Hitler prepara a guerra, o sapateiro assume a tarefa a contragosto e se encanta com as belas cartas que Hannah, uma desconhecida, escreve para a irmã em Buenos Aires.

Apaixonado, Max resolve conhecê-la e depara com uma mulher muito diferente do imaginado, aventurando-se por caminhos incertos e tendo grandes surpresas. TRADUZINDO HANNAH retrata a colônia judaica nos trópicos, com seus costumes e figuras lendárias.

Status/Publicação: pela Record em 2010; Siruela (Espanha) e Métailié (França), em 2012; Giuntina (Itália); Aufbau (Alemanha), em 2013; De Geus (Holanda); Penn (Israel); e Bukowy Las (Polônia), em 2017.