Oscar Nakasato

Oscar Nakasato

OSCAR NAKASATO

Oscar Nakasato é brasileiro, neto de japoneses. É professor universitário e escritor. Mestre em Teoria Literária e Literatura Comparada e Doutor em Literatura Brasileira, publicou sua tese intitulada IMAGENS DA INTEGRAÇÃO E DA DUALIDADE: PERSONAGENS NIPO-BRASILEIROS NA FICÇÃO em 2010, pela Blücher. Foi colaborador do Caderno Ilustrada da Folha de São Paulo, com resenhas críticas sobre literatura japonesa.

Conquistou prêmios literários com os contos ALÔ, OLHOS DE PERI e MENINO NA ÁRVORE. NIHONJIN, seu romance de estreia, ganhou os seguintes prêmios: Prêmio Benvirá de Literatura (2011), Prêmio Literário Nikkei – Bunkyo de São Paulo (2011) e Prêmio Jabuti, categoria romance (2012).

DOIS

Um romance narrado por duas vozes totalmente distintas: dois irmãos idosos contam com diferentes enfoques alguns episódios de suas vidas, que revelam identidades singulares. O mais velho, Zé Paulo, é conservador e metódico. O mais novo, Zé Eduardo, é irrequieto e instável. Enquanto a narrativa do primeiro é coloquial, já que corresponde a uma fala para o neto, a do segundo se caracteriza pelas marcas do texto escrito, pensado. Entre os dois irmãos, ainda há Zé Carlos, policial, e Maria Luísa, que abdica de uma vida pessoal para se dedicar aos outros.

Zé Paulo permanece toda a vida em Maringá, cidade interiorana, onde se casa e tem três filhos. Zé Eduardo parte para São Paulo, onde participa da guerrilha urbana durante o período da ditadura militar e, na sequência, é exilado. Quando retorna ao Brasil, volta a conviver com o irmão mais velho, mas a aproximação afetiva é impossível. Ana Paula, filha adolescente de Zé Paulo, por quem é rejeitada, encontra refúgio nas palavras e nos braços do tio. Então uma tragédia encerra definitivamente a relação fraterna.

Status/Publicação: pela Tordesilhas em outubro de 2017.

NIHONJIN

É um romance memorialista narrado pelo neto do protagonista e conta a história de uma família de imigrantes japoneses que atravessa oito décadas do século XX. Hideo Inabata chega ao Brasil com a esposa e enfrenta o trabalho árduo na lavoura de café, as dificuldades de adaptação ao novo país e a discriminação e o cerceamento das liberdades individuais durante a Segunda Guerra Mundial. O abrasileiramento e as posições político-ideológicas de seu filho e o casamento inter-racial de sua filha são razões para grandes conflitos.

Ganhador do Prêmio Benvirá de Literatura 2011 e do Prêmio Jabuti 2012 na categoria Romance, NIHONJIN foi considerado uma das dez melhores obras da literatura brasileira segundo os resenhistas do site Homoliteratus e está entre os 20 melhores livros em prosa dos últimos 20 anos conforme enquete realizada pelo Jornal Cândido em 2014.

Status/Publicação: pela Benvirá em 2011. Pela Nikkei Bungaku (Brasil/ Japão) em 2015, em japonês. Direitos audiovisuais vendidos para a TV Pinguim. [176 páginas]