Mark Hubbe

Mark Hubbe

MARK HUBBE

Ao longo dos últimos 15 anos, consagrou-se como pesquisador dedicado às discussões sobre o povoamento da América do Sul. Em 2006, obteve doutorado pela Universidade de São Paulo em bio-antropologia de grupos humanos pré-históricos. Foi contratado pelo Museu de Arqueologia de San Pedro de Atacama, no norte do Chile, como pesquisador e curador da coleção de esqueletos humanos, uma das maiores da América do Sul. Entre 2007 e 2011, foi diretor do museu e liderou projetos sobre o desenvolvimento dos grupos que habitaram os oásis atacamenhos antes da chegada dos espanhóis à região. Em 2012, foi contratado pela Universidade Estadual de Ohio, nos Estados Unidos, como professor e pesquisador do Departamento de Antropologia, onde lidera um grupo de pesquisas sobre aspectos da ocupação humana do planeta nos últimos 20 mil anos. Seu interesse reside nas origens da humanidade desde o momento em que a espécie surgiu na África, há 200 mil anos, até a ocupação de todas as massas continentais do planeta.

Nesse marco, o foco é o continente americano. Resultados de suas pesquisas foram publicados em mais de 60 artigos e capítulos de livro em português, espanhol e inglês e chamaram a atenção da mídia internacional. Escreveu um pequeno livro de difusão científica sobre o povoamento das Américas em 2003, publicado pela Sociedade Brasileira de Genética. Em 2016, editou com dois colegas um livro sobre pesquisas em Lagoa Santa, Minas Gerais, importante região arqueológica das Américas. Empenhado na difusão científica para o público leigo, com colegas e alunos, publicou dezenas de artigos em revistas como Scientific American Brasil, Nossa História, Ciência Hoje e Ciência & Cultura. Tem se dedicado à escrita de livros de ficção e fantasia, para dar vazão às diversas histórias e ideias que povoam sua mente.

EM UM LUGAR QUE NÃO É AQUI (LIVRO 1)

Existe, em algum lugar que não é aqui, um reino mágico onde a vida é criada todos os dias pelo Rei Avid, apenas para desaparecer no momento em que ele adormece de noite. Porém, o ciclo de vida e morte do reino é posto em risco quando Avid percebe que seus dias estão terminando. A única solução é buscar sua neta, que se encontra perdida numa cidade típica do mundo dos humanos. Este é o prelúdio para a jornada de Sol, jovem herdeira de Avid, na qual ela descobre a existência do Reino, parte em busca de seu avô e descobre, ao longo de suas aventuras, a verdadeira história de sua família. Sol conta com o apoio de diversas pessoas do Reino, entre elas o garoto-que-quer-ser-soldado Araei, o secretário real Refastlo e o príncipe Alur, seu verdadeiro pai. Juntos, eles perseguem Sertales, que sequestra Avid em seu momento de maior vulnerabilidade, para resgatar o rei e recuperar a paz. Fantasia dirigida ao público adulto-jovem e juvenil, EM UM LUGAR QUE NÃO É AQUI, uma história de exploração, autodescoberta e superação de dificuldades como tantas outras, tem como aspecto marcante e distintivo o fato de que o antagonista da narrativa, o misterioso Sertales, não ser um simples agente do mal com o objetivo de causar danos aos heróis e protagonistas.

Sertales é, assim como os demais personagens, um homem complexo, motivado e influenciado por sua trajetória de vida. As circunstâncias que levam a cada acontecimento nas vidas dos personagens são o resultado de uma rede de eventos e decisões tomadas no passado. Para entender essa rede de eventos que conduzem ao desenlace da aventura vivida por Sol, EM UM LUGAR QUE NÃO É AQUI é composto por capítulos que seguem os pontos de vista de cada um dos personagens principais, alternando-se entre eles. O livro narra uma história completa, que que se encerra em si mesma e não requer continuidade imediata. Entretanto, a riqueza dos personagens e a realidade peculiar do Reino permitem que outras histórias sejam contadas.

Publication/Status: Inédito.

EM UM LUGAR SEM SOL (LIVRO 2) 

EM UM LUGAR SEM SOL se passa quatro anos após o término do primeira história. Sol está com quinze anos e no colegial. A narrativa gira em torno de um vilarejo que existe dentro da caverna descoberta por Sol e Araei no primeiro livro. Nesse vilarejo, que está localizado exatamente abaixo do palácio e que depende das raízes do trono-árvore para sua sobrevivência, não existem dias e noites, e o tempo é marcado pelas batidas de coração de seus habitantes. Dentro do Reino, a história seguirá o encontro entre Sol, Araei e Luza, uma garota que escapou do Vilarejo Sem Sol em busca de ajuda. O antagonista da história, Greno, é o homem mais velho do vilarejo, que decide prender todos os jovens do local para evitar que o tempo passe rápido com seus ritmos cardíacos acelerados por emoções exacerbadas.

Fora do Reino, Sol se debate com a decisão de buscar ou não sua mãe biológica. A trama explorará nada menos que o significado da vida. Culminará com Sol, Luza e Araei provando a Greno que viver por muito tempo não é o mesmo que viver plenamente, e que o objetivo de cada vida é o de experimentar suas alegrias e tristezas o máximo possível. Fazendo alusão aos nomes do primeiro livro (anagramas de paisagens), no Vilarejo Sem Sol, todos os nomes dos habitantes serão anagramas de cores, para destacar a sua importância em um mundo sem sol.

Publication/Status: Em progresso.

EM OUTRO LUGAR QUE NÃO É AQUI (LIVRO 3)

EM OUTRO LUGAR QUE NÃO É AQUI narra uma história que ocorre oito anos após o primeiro livro, quando Sol está na Universidade, estudando biologia (devido ao seu fascínio pela origem da vida em nosso mundo e no Reino). A história se concentra em um Reino que é o oposto daquele que Sol conhece. O Antirreino vive uma seca há oito anos e todos os seus recursos são escassos ao extremo. ideia é que o Antirreino recebia a vida nos momentos em que esta desaparecia do Reino de Avid, sendo, portanto, seu complemento. Porém, com a decisão de Sol no final do primeiro livro de manter a vida permanentemente no Reino, o Antirreino deixa de receber vida e cai em um período de desgraça e sofrimento.

A premissa é explorar a ideia de que todas as ações têm sua consequência e, ainda que a solução de Sol no primeiro livro tenha ajudado ao Reino, ela prejudicou o Antirreino. Ou seja, do ponto de vista do Antirreino, Sol é a grande vilã e a história explorará essa contradição. A narrativa introduzirá Flora, sobrinha de Sol, como protagonista, além de explorar o romance entre Sol e Araei. No Antirreino os nomes de todos os habitantes serão anagramas de sentimentos (Alegria, Raiva, Paixão, Amor, Tristeza, Coragem, etc.).

Publication/Status: Projeto.

INSPIRADA EM FATOS REAIS

Armando Algoniewitz é uma pessoa como muitas outras: preguiçoso e conformado, esforçando-se ao máximo para não ter que se esforçar por nada na vida. Leva uma vida boa e tranquila, morando em um apartamento antigo no oitavo andar de um edifício no centro da cidade e trabalhando como consultor extraordinário de uma companhia de escovas de dentes. Não tem absolutamente nada com que se preocupar. Até que numa bela manhã desperta sem se lembrar do que aconteceu nos últimos três dias de sua vida. Pior: descobre em um anúncio de jornal publicado por ele mesmo que estava prestes a escrever um livro sobre, nada mais, nada menos que o significado da vida.

Acompanhado de Cora, sua nova assistente disfásica, Armando inicia, algo contra a vontade, uma busca por seus dias perdidos e o grande significado da vida. Suas perambulações o fazem encontrar uma série de personagens peculiares, entre os quais o cachorro claustrofóbico Barão Bartolomeu, o carteiro Eponino e sua secretária Esmerauda, o simpático zelador Governador Andrade, o eloquente barman Jesus Judas, o apaixonado Ilustre Señor e a fazendeira e empreendedora Osvaldinéia. Entre trancos e barrancos, cada um desses encontros permite que Armando reconstrua seus dias perdidos, descubra um lado seu que não conhecia e se aproxime do elusivo significado da vida.

Publication/Status: Inédito.