Igor Gielow

Igor Gielow

IGOR GIELOW

Igor Gielow é jornalista desde 1992, quando começou a trabalhar no Grupo Folha como repórter de polícia e política da antiga Folha da Tarde. Foi repórter, redator, editor-assistente, editor-adjunto, editor e chefe da Agência Folha. Em 2003, assumiu a Secretaria de Redação da Sucursal de Brasília da Folha e, dez anos depois, a Direção da unidade. Desenvolveu uma carreira paralela de correspondente internacional a partir de 1996, quando morou em Londres. Especializou-se em cobertura de conflitos, geopolítica e assuntos militares. Ganhou quatro Prêmios Folha de Jornalismo por trabalhos no exterior e é colaborador do IISS (Instituto Internacional de Estudos Estratégicos), de Londres, e do Cast (Centro de Análises de Estratégias e Tecnologias), de Moscou.

Cobriu no exterior, entre outros, conflitos no Líbano, Israel e Argélia, crise dos reféns no Peru e golpe no Equador, eleições na Rússia, guerra no Afeganistão, conflitos no Paquistão, a morte de Iasser Arafat, a morte e beatificação do papa João Paulo 2º, a morte de Osama Bin Laden e os dez anos do 11 de setembro (EUA, Iraque, Afeganistão e Paquistão, em 2011). Foi cinco vezes para o Paquistão e o Afeganistão entre 2001 e 2011. Em Brasília, além de dirigir a Sucursal, assina ocasionalmente a coluna da página 2 da Folha e faz análises sobre política nacional e internacional, além de outros assuntos, como defesa, indústria aeronáutica e religião.

ARIANA

O livro narra a saga de Mark, um brasileiro, correspondente apátrida em todos os sentidos. Nos escombros de um atentado ao qual sobreviveu no Paquistão, no auge da “guerra ao terror”, ele é introduzido a um mistério pelas últimas palavras de seu assistente, Waqar: “Você precisa encontrar Ariana”. Enquanto sua vida pessoal definha, Mark inicia uma jornada regada a chá com leite, muito álcool, uma pitada de Lacan e algum sexo na qual encontrará terrorismo nuclear, intriga de espiões, traições e o Taliban.

Trazendo a rotina do jornalismo internacional, comentários etnográficos, memorabilia e reflexões geopolíticas, este thriller leva o leitor de Londres e Moscou às perigosas áreas tribais da fronteira Paquistão-Afeganistão. Lá, Mark tentará entender o segredo de Ariana – enquanto enfrenta seus próprios demônios.

Status/Publicação: Pela Record em 2015.