Francisco Azevedo

Francisco Azevedo

FRANCISCO AZEVEDO

Website pessoal

Romancista, dramaturgo, roteirista, poeta e ex-diplomata, Francisco José Alonso Vellozo Azevedo nasceu no Rio de Janeiro em 1951. Começou a se dedicar à literatura em 1967, quando venceu concurso promovido pela Organização dos Estados Americanos (OEA). Além de livros e peças de teatro, encenadas no Brasil e no exterior, Francisco Azevedo escreveu para mais de 250 produções audiovisuais.

Seu bem-sucedido primeiro romance O ARROZ DE PALMA, finalista do Prêmio São Paulo de Literatura, já conquistou milhares de leitores em todo o mundo, tendo sido traduzido para 13 idiomas. Com estreia marcada para abril de 2019, o romance será novela da TV-Globo, mantendo o título O arroz de Palma. Em 2012, a Record publicou seu segundo romance, DOCE GABITO.

OS NOVOS MORADORES

As casas geminadas da rua dos Oitis: Na aparência, duas fachadas em perfeita harmonia. Na intimidade, duas estranhas em permanente conflito. A casa de cá, fria, desconfiada, tediosa. Enquanto que a casa de lá, atrevida, imprevisível, dionisíaca. Já era assim na época de Vicenza, famosa cantora também conhecida pelas festas animadíssimas que, é claro, infernizavam a vida de Zenóbio e Carlota, seus vizinhos. Quando Vicenza decide morar no exterior, traz alívio para ambos. Damiana, a filha caçula, recebe a notícia com indiferença. Apenas Cosme, o filho rebelde, sofre com a partida de sua amiga e amante. Às escondidas, o jovem sempre arrumava modo de visitá-la. Valia a pena correr o risco de ser descoberto pelos pais. A casa de lá era cheia de paixão, de humor, histórias fantásticas. Diferente da sua, onde a severidade e a amargura o asfixiavam. Meses depois, chegam os novos moradores. Pedro é professor universitário. Inês é pintora de renome.

O casal tem dois filhos adolescentes, Amanda e Estevão. Acaso ou destino, Cosme continua ligado à casa de lá. Apaixona-se por Amanda sem imaginar que os irmãos vivem secreta e atribulada história de amor. O crescente envolvimento entre os três jovens acirra ânimos e causa novos desentendimentos entre as duas casas. Os dramas que escondem aquelas paredes, o que se passa por trás daquelas portas. O que causa o simples girar de uma maçaneta: o flagrante, a cena inimaginável. Qual o pior castigo: a dor dos pais ou o pavor dos filhos? O que uma família é capaz de suportar quando o amor prevalece. A gravidez que trará mais desavença, o nascimento de Petra e a força transformadora do perdão. A busca de uma nova Humanidade, mais generosa, mais transparente. Tempos de aprendizado, de aprimoramento. De novas casas e novos moradores.

Status/Publicação: pela Record em junho de 2017. [418 páginas]

DOCE GABITO

O livro conta a história de Gabriela Garcia Marques, nascida em 1967, em meio à guerrilha rural do Araguaia. Depois da morte de seus pais pelos militares, ela se muda para o Rio de Janeiro com seu avô, Gregório, para viver semiclandestinamente na favela. Durante uma tempestade, um senhor simpático de grandes bigodes aparece em um sonho para convencê-la a deixar o barraco, que cai e mata Gregório. A partir desse episódio, a tortuosa vida de Gabriela envolve as dificuldades de ser criada pela tia, proprietária de um bordel; os sofrimentos da adolescência; a paixão por José Aureliano, um homem casado que a trata como prostituta; e a perda de Florentino, seu único verdadeiro amor, quando ela decide escrever suas memórias.

Ao fundo, a fantástica história do Brasil na segunda metade do século XX e a presença constante de Gabriel García Márquez, apelidado Gabito, que aparece em sonhos para Gabriela sempre com conselhos preciosos.

Status/Publicação: pela Record em 2012. [460 páginas]

O ARROZ DE PALMA

Primeiro romance a lidar com a grande imigração portuguesa para o Brasil no século XX, O ARROZ DE PALMA narra a saga de uma família em busca de um futuro melhor. Durante os cem anos em que o leitor acompanha suas vidas, irmãos e irmãs brigam e fazem as pazes. Alguns casam bem, outros se separam. Filhos são motivo de preocupação e de felicidade. Ao longo da história, sempre lá, está o arroz jogado sobre o patriarca e a matriarca da família, José Custódio e Maria Romana, em seu casamento, em 1908. O arroz é o fio que liga a história, como uma trilha de farelos pelos labirintos da memória.

Estreia literária do roteirista e dramaturgo Francisco Azevedo, O ARROZ DE PALMA é um romance delicado, com um quê de Isabel Allende, um entrecho sentimental que revela a nostalgia de um tempo em que as famílias eram sempre o porto seguro. No Brasil, um grande sucesso para a Record; já vendido para mais de uma dezena de editoras internacionais.

Status/Publicação: pela Record em 2008; Espasa Calpa (Espanha); La Columna (Catalunia); DTV (Alemanha); Mondadori (Itália); Cappelen Damm (Noruega); Norstedts (Suécia); Porto Editora (Portugal); Autrement (França); Carobna Knjiga (Sérvia); Signatuur (Holanda) e Atria (EUA). Vendido para a Epsilon Yayinevi (Turquia) e para a Illuminatio (Polônia). Direitos digitais sérvios vendidos para a Tea Books. Direitos audiovisuais vendidos para TV Globo.