Domingos Pellegrini

Domingos Pellegrini

DOMINGOS PELLEGRINI

Nascido em Londrina, no Paraná, em 1949, Domingos Pellegrini estudou Letras e Publicidade na Universidade Estadual de sua cidade entre 1967 e 1975. Mais tarde foi para Assis, em São Paulo, estudar na Universidade Estadual Paulista, onde se especializou em Teoria Literária. Romancista, contista, cronista, poeta, jornalista e publicitário, já trabalhou como redator de agências de propaganda e é colunista de vários jornais.

Depois de seu primeiro livro, O HOMEM VERMELHO, escreveu muitas outras coletâneas de contos, novelas e romances. Seu primeiro livro infanto-juvenil, A ÁRVORE QUE DAVA DINHEIRO, de 1981, tem mais de 3 milhões de exemplares publicados. Entre muitos prêmios, foi duas vezes ganhador do Jabuti, com O HOMEM VERMELHO e O CASO DA CHÁCARA CHÃO.

MULHERES ESMERALDAS

Como repórter da revista Playboy nos anos 1980, Domingos Pellegrini conheceu vários garimpos na Amazônia. A chamada febre do ouro, que por lá grassou, gerando até o hiper-garimpo de Serra Pelada, nesse romance – que segundo o autor se trata de um “policial de amor” –, é vivida por uma ex-prostituta, uma ex-caminhoneira e uma ex-cozinheira, todas lideradas por uma ex-enfermeira americana, Marianne, levada para a região pelo pai, que trabalhara para Daniel Ludwig, o criador do Projeto Jari, na Amazônia profunda. O repórter não sabe que elas são reféns de um delegado de polícia, e o delegado não sabe que as moças garimpam não apenas ouro mas, principalmente, um farto veio de esmeraldas.

Seu objetivo é usar o garimpo e suas mulheres em um ensaio fotográfico para a revista, ignorando que elas querem usá-lo como alternativa para fugir com a carga de esmeraldas, passando por São Paulo e Rio de Janeiro. Dessa trama resultam cenas agudamente reveladoras da cultura garimpeira, dos costumes brasileiros e das contradições humanas. Romance de ação intensa, com narração cinematográfica típica do autor, é entretanto entremeado de reflexões éticas e passagens poéticas, fundindo o mundo masculino do repórter da Playboy e o universo feminino da líder garimpeira, para revelar enfim que o que garimpam é, no fundo e finalmente, o amor e a humanidade.

Status/Publicação: pela Autêntica em outubro de 2017. Direitos audiovisuais vendidos para RT Features.