Autor: 0.000000e+0s

Alberto Mussa é um dos nomes de maior brilho da Flip este ano, mas outros clientes da agência estarão em Paraty na próxima semana. Raphael Montes figura na programação da livraria Saraiva de ciclo de debates, e o PublishNews deu destaque.

Ainda na off-Flip, Luize Valente e Adriana Armony falarão em mesa que marcará o lançamento de A FEIRA. O novo romance de Adriana, construído em torno de um evento literário, com personagens típicos do mundo editorial, está saindo pela 7 Letras.

Anna Luiza Cardoso e Miguel Sader, ainda com o fuso horário desajustado, também se mudam para Paraty a fim de acompanhar as atividades dos autores da agência.

Vejam só que bela matéria escrita por Rodrigo Casarin, do Blog Página Cinco, rasgando a seda para o nosso querido Alberto Mussa. Ele lista sete motivos que não deixam dúvida sobre a importância da obra de Mussa para a literatura brasileira, como seu respeito pela história e pela mitologia, sua bagagem cultural e sua espetacular habilidade como narrador. Vale a pena conferir.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

MUSSA

A última coluna de Raphael Montes n’O Globo deu o que falar. É que, sempre na luta pela literatura “de entretenimento”, desprezada pela crítica brasileira porque vende e não propõe complexas experiências literário-estéticas, ele saiu na defesa dos novos autores brasileiros que escrevem para nos entreter com uma boa história. Ponto. E não digo simples assim porque de simples não tem nada! Pois bem, entre os novos nomes recomendados por ele, está sua colega de agência Andrea Nunes, cujo thriller A CORTE INFILTRADA, em que nosso sistema judiciário aparece desnudado_ qualquer semelhança com a realidade não é mera coincidência!_, foi recentemente publicado pela Buzz Editora, do editor Anderson Cavalcante. Livrão, cujo posto na lista do Rapha é mais do que merecido. Sucesso, Andrea!

Para ler a coluna na íntegra, clique aqui.

 

Raphael Montes Andrea Nunes

No próximo sábado, das 15h às 18h, Índigo lança seu novo livro, MARIA ANTONIETA E O GNOMO, na Livraria da Vila da Fradique Coutinho. Vai ter oficina de gnomos para as crianças. Quem levar seu gnomo de estimação ganha um mimo muito legal.

Dizer que o livro é maravilhoso simplesmente não exprime o humor agudo e terno, delirante e irresistível, de Índigo, particularmente nessa narrativa. Maria Antonieta é uma personagem muito, muito querida.

image001

Confira aqui a ótima entrevista do autor português Manuel Arriaga, representado pela VBM, concedida à jornalista Heloísa Eterna, do portal aCriatura. Nela o autor fala de seu livro REINVENTANDO A DEMOCRACIA, publicado originalmente em Portugal e posteriormente na Grécia e no Reino Unido, onde chegou a ocupar o primeiro lugar de vendas da sessão Democracy da Amazon. Seu principal objeto de investigação é um tema que está na ordem do dia por aqui: a crise de representatividade política. Uma ótima leitura para o momento político tão conturbado pelo qual passamos.

Manuel Arriaga é professor visitante na Universidade de Nova York. Além disso, leciona também na Universidade de Cambridge, onde conduziu, durante vários anos, projetos de investigação e ministrou cursos sobre como as organizações e os indivíduos podem se tornar melhores tomadores de decisão. Seu trabalho acadêmico foi publicado em importantes revistas científicas e obras de referência.

Para ler a entrevista na íntegra, clique aqui.

arriaga blog

Por Miguel Sader.

Eis aqui finalmente a caprichadíssima capa de THE INVISIBLE LIFE OF EURIDICE GUSMAO, o romance de estreia de Martha Batalha, pela OneWorld, prestes a seguir para todas as livrarias britânicas e norte-americanas. O projeto reflete o fino humor da narrativa de Martha, A VIDA INVISÍVEL DE EURÍDICE GUSMÃO, e os elogios escolhidos para a quarta capa são precisos, estimulando a vontade de leitura. Note-se a frase de Alberto Mussa _ “afiado, seco, cáustico e inteligente” _, que figura como autor de THE MYSTERY OF RIO, nosso maravilhoso O SENHOR DO LADO ESQUERDO, publicado na Grã-Bretanha pela Europe.

eurucide_capa2

O belo trabalho de Aída Veiga e Cassiano Machado, trazendo o autor de HIGH HITLER ao Brasil, ajudou muito a colocar o livro de Norman Ohler na lista de mais vendidos do PublishNews já na primeira semana do lançamento. Dizemos “ajudou” porque é espetacular a investigação de Ohler sobre a política de drogas do III Reich, que usava e abusava de anfetaminas para estimular os soldados alemães nos fronts da II Guerra Mundial. Além disso, o livro documenta como Adolf Hitler passou todo e cada dia do longo período da guerra completamente doidão. Merece lista, já conquistada não só na Alemanha como também nos EUA. Agora no Brasil.

WhatsApp Image 2017-07-04 at 09.29.04

O Flin, Festival Literário de Natal, na segunda quinzena de novembro, contará com a presença de Edney Silvestre. Ele vai compor mesa com Mauro Ventura e Zuenir, que será o autor homenageado na festa.

Muita coisa boa rolando para Edney. Contrato com a TV-Globo de adaptação para minissérie de seu memorável romance de estreia, SE EU FECHAR OS OLHOS AGORA, acaba de ser assinado por todas as partes. Na verdade, o trabalho de transformação da narrativa em roteiro já está praticamente pronto _ argumento e vários capítulos _, assinado pelo super roteirista Ricardo Linhares. 

Quem sabe produção começa ainda este ano. Seria um super Natal antecipado para todos nós. 

Por intermédio de Ella Sher, nossa parceira na Espanha, HarperCollins Ibérica fez uma proposta de áudio-livro para SURPREENDENTE!, de Maurício Gomyde, que já está em papel e e-book nesse idioma há alguns meses. Em breve, será possível treinar espanhol só ouvindo a linda narrativa de Gomyde sobre amizade, amor e superação. Harper Collins Español está cuidando da gravação, e o áudio-livro também terá formatos físico e digital.

livro_policial_capapresosnoparaiso

No blog Angústia Criadora, Ney Anderson publica excelente crítica sobre PRESOS NO PARAÍSO, de Carlos Marcelo, em que destaca o som do vento na recriação da paisagem de Noronha, que nos faz sentir de volta à ilha ou, quem jamais foi lá, pela primeira vez imerso naquele ambiente poderoso. Fala também da música no livro, perfeita trilha sonora. Carlos Marcelo deveria por nas páginas de abertura todos os títulos de músicas mencionadas ao longo da narrativa de maneira que o leitor pudesse fazer uma playlist para acompanhar a leitura.

Fernando de Noronha entre mistérios e sombras