novembro 2016

4

Recebemos na agência os exemplares de cortesia de CHAPEUZINHO ESFARRAPADO e outros contos feministas do folclore mundial, organizado por Ethel Johnston Phelps e ilustrado lindamente por Bárbara Malagoli, numa edição da Companhia das Letras.

chapeuzinho

A edição original em inglês foi publicada pela editora nova iorquina The Feminist Press, que apostou em um livro que reunisse diversas histórias e contos orais, passados de avó para neta, sobre a essência sagrada da mulher em diferentes lugares e culturas do planeta. Ao ler as deliciosas histórias, descobrimos que o conceito de “empoderamento feminino” está presente em todas as culturas, milenariamente. Nada de princesinhas indefesas esperando serem salvas, mas sim meninas e mulheres que foram corajosas e se tornaram heroínas de suas próprias vidas.

lago_encantado

Umas das ilustrações, por Bárbara Malagoli.

A linda edição da Companhia somou charme ao livro, que é fruto de muita pesquisa. Um ótimo presente para todas as idades – taí, uma boa dica para o Natal.

quabranozes

CHAPEUZINHO ESFARRAPADO tem tudo para também entre nós se tornar um clássico – feminista– que será lido por muitas e muitas gerações a seguir. Já é o que acontece nos Estados Unidos com as seguidas edições de The Feminist Press, que agora mesmo o está relançando com projeto gráfico inteiramente novo.

No Facebook, João Carlos Rodrigues disse tudo e mais um pouco sobre ROGÉRIA, a biografia do “travesti da família brasileira”, escrita por Marcio Paschoal e lançada pela Sextante.

 

capa_blog

Dica de livro: “Rogéria – uma mulher e mais um pouco”
Marcio Paschoal
Estação Brasil, RJ, 2016

Biografia de Astolfo Barroso Pinto, a Rogéria, o mais bem sucedido travesti brasileiro. Texto (bom e fluente) do escritor e jornalista Márcio Paschoal, também biógrafo de um artista antípoda: o primitivo e rascante maranhense João do Vale, um dos pilares da música nordestina, autor dos famosos “Pisa na fulô” e “Carcará”. Um dos lados mais interessantes deste novo livro é a descrição da vida de um travesti não-operado, documento sincero e esclarecedor para quem não sabe nada ou imagina coisas do arco da velha.
O livro flui em duas correntes paralelas. Na primeira o autor, auxiliado pelo amplo e excelente material fotográfico, narra na terceira pessoa a vida privada e profissional de Rogéria, as peças que fez, os países onde se exibiu, a amizade com a mãe e o meio irmão, alguns amores. Sim, alguns amores. Queriam o que? A vida sexual de alguma freira, alguma vestal? Entre eles o policial delinquente Mariel Mariscott, um astro do Esquadrão da Morte, assassinado em plena rua a mando de um famoso bicheiro. Um símbolo sexual carioca, pai de um dos filhos da atriz Darlene Glória. Criatura pouco recomendável, porém interessante.
Simultaneamente a esse lado digamos documental da biografia temos entremeados comentários na primeira pessoa feitos pela biografada, impressos em letras de cor violeta. Aqui estamos longe da compostura e mesmo do decoro a que Astolfo/Rogéria acostumou seu respeitável público, a ponto de ostentar o título surpreendente para alguém vindo do bas-fond de “o travesti da família brasileira”. Merda no ventilador.
Ela não delata propriamente ninguém mas dá boas pistas para exegetas da phophoca (com ph mesmo) e pesquisadores com talento para arqueologia. Quem será o jovem jogador do Santos que no Cairo em fevereiro de 1973, apesar de bem dotado, preferiu apenas o sexo passivo? Ou o tricampeão taradão da Copa de 70 que quase a estuprou no camarim do Canecão? Ou o ator, na época noivo de uma miss lindíssima que acabava de madrugada na casa da nossa estrela, fazendo sexo oral e outras sacanagens? Ou outro ator bem conhecido do cinema pornô que posava de machão mas na hora H pediu para ser passivo?
Adivinhe se puder. Também temos descrições de outras modalidades sexuais bastante heterodoxas mesmo para um travesti. Há quem sussurre no breu das tocas que Rogéria como grande comedora tem ou teve também uma boa lista de amantes do sexo feminino, mas nesse ponto imperou a discrição. Como convém a uma lady, porra. E mais não digo.
Como a curiosidade matou o gato, meu amigo leitor, compre o livro e verifique você mesmo. Fui.

https://www.facebook.com/joaocarlos.rodrigues.18/posts/1233789206660408?comment_id=1233863536652975

Chegaram à agência nossos exemplares de O REMANESCENTE, de Rafael Cardoso, que está saindo do forno no Brasil pela Companhia das Letras. O romance de não ficção, resultado de longa pesquisa e imersão de Rafael na história de sua família, narra o trágico exílio de Hugo Simon, bisavô do autor, sua esposa e filhas, da Europa para o Brasil durante a Segunda Guerra Mundial.

remanescente1

O nosso exemplar, recém chegado.

Além de grande narrativa, O REMANESCENTE é protagonizado por personagens tão interessantes e fascinantes que ao terminar a leitura não há como discordar de que suas histórias não poderiam deixar de ser contadas. Rafael tomou para si a responsabilidade com grande competência e o resultado é um livro espetacular.

Recém publicado na Alemanha pela S. Fischer Verlag, DAS VERMÄCHTNIS DER SEIDENRAUPEN está super bem exposto nas livrarias do país. Garanto isso por Berlim, de onde eu, Anna Luiza, escrevo e onde todas as livrarias contam com uma bela pilha do livro, e por Frankfurt.

header_rafaelcardoso

Fico ansiosa agora pela recepção dos leitores brasileiros à belíssima edição preparada pela Companhia das Letras. Há de ser das melhores!

O livro de Tim Ferriss, AS FERRAMENTAS DOS TITÃS, que representamos para a Houghton Mifflin Harcourt e no Brasil sairá pela Intrínseca, deu show em Frankfurt. Foi vendido para a Random House na Grã-Bretanha, para Jarir Bookstore em língua árabe, para Sun Color e Citic na China (chinês complexo e simplificado), Meulenhoff na Holanda, Melvil na República Checa, Viisas Elama Oy na Finlândia, Leducs na França, Riva na Alemanha, Leya em Portugal, Politon na Romênia, Dobraya Kniga na Rússia e Seven Colours na Ucrânia. Ufa.

O livro é baseado nas entrevistas do super podcast de Ferriss, que conversa com celebridades e gente de destaque de todos os campos para saber de cada uma delas o segredo do sucesso e da boa forma. Só que para o livro Ferriss experimentou e testou cada uma das fórmulas em sua vida diária. Fez um resumão e vem portanto com um completo receituário do que vale a pena aproveitar e seguir no dia-a-dia da gente.

timferriss

O autor, Tim Ferriss.

Tim Ferriss tem livros muito populares já traduzidos no Brasil. TRABALHE 4 HORAS POR SEMANA (Planeta) e 4 HORAS PARA O CORPO (Intrínseca) são bíblias para milhares.