Nosso Blog

2015-03-19_13.57.24

O AUTOR COMO LEITOR – Noemi Jaffe

13 Perguntas sobre livros e leituras

Narizinho é uma personagem feminina favorita”

O primeiro romance de Noemi Jaffe tem um título intrigante e é um diamante puro, perfeito e lapidado. Irisz: As orquídeas  conta a história de uma jovem botânica húngara, que em 1956 deixa Budapeste, fugindo da contra-revolução, para trabalhar no Jardim Botânico de São Paulo com uma pesquisa sobre flores capazes de adaptação a ambientes adversos.

Lá Irisz conhece Martim, diretor do Jardim Botânico, bem mais velho, um comunista sofrendo as primeiras desilusões ideológicas que o comunismo infligiu a seus adeptos ao longo do século XX. Ele se apaixona por ela, e a pergunta que conduz o leitor até o final é: Irisz permanecerá em São Paulo, ou preferirá voltar e resistir em sua terra à dominação soviética? O certo é que Irisz ficará como uma das personagens femininas mais ricas, multidimensionais e deliciosas da literatura brasileira; o leitor poderá conferir a partir da segunda metade de maio, quando o romance será publicado pela Companhia das Letras.

Outro livro de Noemi foi escrito a seis mãos, as dela, as de sua mãe e de sua filha, um testemunho trigeracional do Holocausto. O que os cegos estão sonhando?, da Editora 34, parte do diário que Lili Jaffe escreveu desde que deixou a Sérvia levada por soldados nazistas para Auschwitz, os meses que passou no campo e o período de quarentena na Suécia depois da libertação; direitos de tradução acabam de ser vendidos à editora Deep Vellum, nos EUA, pela VB&M em parceria com a 2-Seas Agency. Noemi Jaffe é ainda magnífica contista – A verdadeira história do alfabeto, da Companhia, conquistou o prêmio Brasília, além de ter sido finalista de várias outras premiações; poeta e crítica, colabora com a Folha de S.Paulo regularmente; e uma grande leitora, como se pode ver nessa entrevista.

 

1 Quais livros estão agora sobre sua mesa de cabeceira?

O teatro de Sabbath, de Philip Roth; Por escrito, de Elvira Vigna; Ser judeu, de Vilem Flusser.

2 Cite três livros fundamentais para a sua formação, obras fundamentais para a construção da escritora e da mulher que você é hoje.

José e seus irmãos, de Thomas Mann; Rumo ao farol, de Virginia Woolf; O arco e a lira, de Octavio Paz.

3 Quais são as três cidades mais literárias de todos os tempos e quais obras lhes prestam maiores homenagens?

Rio de Janeiro, nos contos de Machado de Assis, São Petersburgo, nos contos de Anton Tchekhov, Paris, na obra de Flaubert.

4 Quem são os três maiores romancistas em atividade?

Não acho que estes sejam os três maiores, porque há muitos outros comparáveis, mas estão entre os meus preferidos: Philip Roth, David Grossman e Cristovão Tezza.

5 Quem são seus poetas preferidos? Não mais que três, por favor.

Emily Dickinson, William Carlos Williams e Manuel Bandeira.

6 Cite três personagens femininas favoritas da literatura mundial.

Felicité, de Flaubert; A protagonista do conto Amor, de Clarice Lispector; Narizinho, de Monteiro Lobato.

7 E os três personagens masculinos mais queridos, quem são?

Austerlitz, do romance de mesmo nome, de Sebald; Jó, do Antigo Testamento; José, de José e seus irmãos, de Thomas Mann (desculpe a redundância).

8 Qual a obra de crítica literária mais importante para sua formação nessa atividade?

A preparação do romance, de Roland Barthes.

9 Quem são seus contistas preferidos?

Anton Tchekhov, Julio Cortázar e Machado de Assis.

10 Quais os mais belos contos da literatura brasileira?

A causa secreta, de Machado de Assis; Tentação, de Clarice Lispector; No tempo da camisolinha, de Mario de Andrade

11 Se você pudesse viver dentro do universo de uma obra literária, que obra seria essa?

O jogo de amarelinha, de Julio Cortázar.

12 Qual será sua próxima leitura?

Os livros da coleção Pequenos Exílios, organizada pela Paloma Vidal.

13 Que livro seria importante que a presidente Dilma lesse neste momento?

A paixão segundo G.H., de Clarice Lispector, porque acredito que ela precise passar, como a personagem, por um processo profundo de autoconhecimento e de transformação daquilo que está recalcado, em algo mais produtivo e solar.

Comentários ( 0 )

    Deixe um comentário

    O seu e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados com *